Proddigital Market

Como conseguir tráfego orgânico para o seu site

Imagem: koctia/Depositphotos

Entender como conseguir tráfego orgânico é uma das formas mais eficientes de atrair potenciais clientes. Não é por acaso que esse é um dos principais interesses das empresas no marketing digital.

Tráfego orgânico são os visitantes que chegam ao seu site sem que você precise investir em anúncios. Eles são atraídos por conteúdos que respondem suas dúvidas, resolvem suas necessidades e agregam valor à sua vida. Por isso, é preciso desenvolver estratégias de SEO e marketing de conteúdo que posicionem as páginas no Google e engajem o público da marca.

Além de não envolver custos com mídia, o tráfego orgânico gera resultados sustentáveis. Você trabalha em conteúdos e otimizações que seguem atraindo visitantes no longo prazo — diferentemente dos anúncios, que param de gerar tráfego pago quando você para de investir.

Então, quer saber como aumentar o tráfego orgânico para aumentar suas oportunidades de negócio? Conheça agora as principais estratégias orgânicas de conteúdo e SEO:

1. Pesquise as principais palavras-chave

Para explicar como conseguir tráfego orgânico para o seu site, vamos começar pelas estratégias de conteúdo e um dos seus pilares: as palavras-chave.

Palavras-chave são os termos que os usuários utilizam para encontrar conteúdos no Google. Quando uma busca é feita, o buscador vasculha as páginas que indexou para aquelas palavras-chave. Então, ele apresenta os resultados ao usuário, considerando ainda uma série de fatores de ranqueamento para ordenar os links.

Portanto, descobrir quais palavras-chave os usuários digitam para chegar até as suas páginas é essencial para aparecer nos resultados dessas buscas e aumentar o tráfego orgânico.

Para isso, é preciso realizar uma pesquisa de palavras-chave. Esse processo consiste em identificar os termos de busca relacionados à sua atividade que podem levar até o seu site. Depois que forem identificadas, essas palavras-chave devem nortear a produção de conteúdos e ser colocadas em posições estratégicas da página (como o título e a URL). Assim, o Google consegue identificar os termos principais e indexar a página para eles.

Como fazer uma pesquisa de palavras-chave

Para realizar uma pesquisa de palavras-chave, comece identificando quais são as dúvidas dos consumidores que os seus conteúdos podem resolver.

Afinal, o Google é um grande oráculo, em que as pessoas digitam todas as suas dúvidas sobre o mundo, e o buscador traz as respostas que estão nas páginas da web. Cabe a você, então, ter as respostas que o público precisa.

Essas dúvidas surgem ao longo de toda a jornada de compra. Mas elas variam conforme a etapa em que o consumidor está:

Então, identifique as dúvidas e necessidades de cada etapa para atrair consumidores em toda a sua jornada.

Além disso, você pode usar algumas ferramentas para descobrir esses termos:

A partir dessas e outras ferramentas, crie listas de palavras-chave, hierarquize as mais importantes e inicie a produção de conteúdo com base nelas.

2. Produza conteúdos relevantes para a persona

Relevância é um dos pilares do marketing de conteúdo. Se os conteúdos não forem relevantes para o público, eles não despertam interesse, não levam as pessoas até o site, não engajam e não constroem autoridade.

Então, é preciso criar publicações que ofereçam algum valor para a persona, seja para educar, informar ou entreter.

Para isso, você deve entender o que é importante para a persona. O que ela quer saber? Quais dúvidas tem sobre a sua área de atuação? Quais problemas ela enfrenta que a sua marca pode resolver?

Boa parte dessas questões você já levantou na pesquisa de palavras-chave. Porém, a produção do conteúdo vai além. Você precisa entender as intenções de busca das pessoas, não apenas o que elas digitam na pesquisa. A intenção de busca representa a resposta que a pessoa quer encontrar, no melhor formato, da forma mais completa possível.

Se a pessoa digita “como cuidar de orquídeas”, você pode explorar todas as dúvidas relacionadas a isso, como a frequência de rega e a exposição ao sol, e utilizar diferentes formatos para enriquecer o conteúdo.

Mas se ela pesquisa por “onde comprar orquídeas”, provavelmente a intenção da busca é saber de lojas que vendam a planta perto da sua localização. Então, um conteúdo relevante é o que atende a essa intenção.

Além disso, procure criar um conteúdo diferenciado. Você já percebeu que a internet está cheia de informação, não é? Por isso, provavelmente alguém já respondeu a pergunta da persona. Mas você pode responder melhor.

Então, utilize sua expertise e conhecimento para criar um post original, atualizado, completo, na linguagem do público. Dessa forma, a sua publicação não é “apenas mais uma”. Ela se torna a melhor resposta que o usuário pode encontrar — e o Google sabe reconhecer esse trabalho com uma boa posição no ranking.

3. Varie os formatos dos conteúdos para conseguir mais tráfego orgânico

Quando se fala em produção de conteúdo, geralmente os profissionais de marketing pensam logo na criação de posts de blog. Sim, eles são essenciais na estratégia de tráfego orgânico, porque ajudam a indexar o site no Google.

Porém, é importante utilizar também outros formatos de conteúdo, que transmitam a informação de diferentes maneiras e agradem a usuários com diferentes preferências. Eles podem ser usados em outros canais, como YouTube e redes sociais, e direcionar para os posts de blog ou páginas do site que centralizam o tráfego.

Estes são alguns tipos de conteúdo que você pode produzir:

Além disso, você pode usar materiais ricos para despertar ainda mais interesse, porque eles oferecem um valor a mais para o usuário. Por exemplo: um ebook que aprofunda um tema, uma ferramenta gratuita que facilita a vida da pessoa, um podcast com uma entrevista imperdível.

Portanto, os materiais ricos têm um alto potencial de gerar tráfego orgânico para o seu site e são capazes de motivar os usuários a deixar seu contato com a marca. Depois, eles viram leads e são nutridos no funil até a venda.

4. Promova os conteúdos em outros canais de marketing digital

Ao publicar conteúdos no seu site ou blog, eles são indexados pelo Google e passam a atrair tráfego orgânico de maneira passiva. São os usuários que encontram os conteúdos no buscador.

Porém, os conteúdos também podem atrair tráfego quando você age ativamente para divulgá-los em outros canais do marketing digital. Esse processo é chamado de promoção de conteúdo e consiste em “espalhar” seus links pela internet para ter mais resultados com eles.

Vamos destacar agora os principais canais digitais, além do blog, que você pode usar para atrair interessados até as suas publicações:

Redes sociais

As redes sociais são grandes parceiras na promoção de conteúdo. Lá você tem uma audiência que já curte a sua marca e já se engaja com as suas publicações. Então, você pode envolver ainda mais os seguidores e transformá-los em oportunidades de negócio ao levá-los até o seu site.

Facebook, LinkedIn e Twitter permitem publicar links nos posts orgânicos. Você pode divulgar blogposts e materiais ricos, tanto no seu perfil quanto em grupos e comunidades que sejam relevantes para a sua área de atuação.

Já o Instagram tem algumas particularidades. A publicação de links externos só é permitida na descrição do perfil (chamada de “bio”). Muitas contas utilizam agregadores de links (como o Linktree) para poder publicar mais de um link na bio. Já nos posts e stories, você só pode inserir links se tiver mais de 10 mil seguidores ou uma conta verificada.

Outro recurso que ajuda a divulgar seus conteúdos nas redes sociais são os botões de compartilhamento social, como os do AddThis ou do ShareThis. Insira esses botões no blog para incentivar que os usuários compartilhem os posts nas suas redes.

Email marketing

Email marketing é um canal de relacionamento com o público. Quem está na sua lista de emails provavelmente já conhece a marca ou até já é cliente. Portanto, o uso dessa ferramenta tende a atrair tráfego orgânico de quem já tem algum relacionamento com a marca.

Você pode aproveitar o email marketing para educar os leads do topo até o fundo do funil de vendas. Utilize posts do blog e materiais ricos conforme a etapa da jornada em que cada contato se encontra.

Os recursos de segmentação, personalização e automação de emails permitem criar uma estratégia eficiente de nutrição e conversão de leads.

YouTube

O YouTube também pode ser usado para promover seu conteúdo e atrair visitantes orgânicos até o site ou blog.

Sempre que produzir um vídeo para o YouTube, lembre-se dos posts do blog que podem complementar o conteúdo. Você pode inserir links na descrição do vídeo e mencionar isso na gravação para incentivar o clique.

Outra ideia é transformar os posts do blog em vídeos, com a linguagem própria do YouTube. Dessa maneira, você transmite as informações de outras formas (lembra que falamos sobre variar os formatos de conteúdo?), mas sempre com o link para a publicação original no blog.

5. Faça guest posts e co-marketing para ganhar backlinks

Agora, vamos começar a falar de estratégias de link building, para você saber como conseguir tráfego orgânico de outros sites parceiros da web.

Link building é a construção de uma rede de links que apontam para o seu site para transmitir autoridade e credibilidade às suas páginas e atrair mais visitantes.

O Google entende a sua relevância na web a partir de sites que geram links para as suas páginas, chamados de backlinks. Se eles são confiáveis, têm conteúdos de qualidade e são referências na sua área de atuação, o seu site ganha pontos e sobe no ranking. Dessa forma, o link building ajuda a construir sua reputação e melhorar seu posicionamento no Google.

Mas como conseguir tráfego orgânico de backlinks para o seu site?

A primeira regra é criar conteúdos de valor, que recebam links naturalmente. A publicação é tão boa, que viraliza sozinha. Mas você também pode adotar algumas estratégias ativas para potencializar o link building. Entre elas, estão os guest posts e o co-marketing. Vamos explicar agora o que são.

Guest posts são publicações como convidado em outros blogs que tenham o perfil do seu público-alvo. Você pode estabelecer parcerias para a troca de guest posts. Nesta publicação, insira links para o seu blog e atraia um novo público para conhecer a sua marca.

Já o co-marketing é uma parceria entre marcas que resulta em um conteúdo, material ou produto em conjunto. Essa produção, então, é divulgada nos canais de cada marca e faz com que o público de uma conheça o trabalho da outra.

Portanto, essas estratégias de parceria são formas de divulgar seus links pela internet e gerar um tráfego orgânico qualificado, com visitantes que podem se tornar clientes futuramente.

6. Identifique potenciais parceiros para link building

Se você quer fazer parcerias de guest posts e co-marketing, precisa encontrar parceiros para isso. Bons parceiros para links building são sites que:

Para saber essas informações, você deve primeiramente acompanhar de perto o trabalho desses sites, para entender como é o seu conteúdo e qual abordagem utilizam. Se você confiar no que eles produzem, procure informações mais detalhadas sobre potenciais parceiros em ferramentas de SEO, como a Moz e a SEMrush.

O Link Explorer da Moz é ideal para essa análise. A ferramenta tem dois indicadores — Domain Authority e Page Authority — que analisam a autoridade de qualquer domínio ou página. Então, quanto mais alta for a pontuação (de 0 a 100) nesses indicadores, mais bem posicionados eles estão no Google e mais autoridade podem transmitir no link building.

Mas não pense que link building é uma corrida desenfreada atrás de links. Mais importante que a quantidade é a qualidade dos backlinks que o site ganha. Quanto mais confiáveis e qualificados são os sites que direcionam links, mais autoridade você ganha e mais posições avança no ranking.

Lembre também que, ao produzir conteúdos em conjunto, as imagens das marcas vão ficar associadas na mente do consumidor. Então, também é importante procurar parceiros confiáveis que agreguem valor à sua reputação.

Se você ganhar backlinks de sites de baixa qualidade, o Google pode rebaixar o seu site no ranking. Basicamente, o Google analisa se você anda com boas ou más companhias na web para saber se pode confiar no seu site. E más companhias podem também prejudicar sua reputação diante do público.

7. Solicite a inclusão de links em menções à marca na web

Muitas vezes, a web já está cheia de menções à sua marca. Você pode não saber, mas talvez já tenha muita gente falando sobre ela pela internet, como em blogs, sites de notícias ou diretórios de empresas.

Essas menções, então, representam boas oportunidades de link building: você pode incluir links nas menções ou solicitar que os administrados desses sites façam isso e, assim, gerem tráfego orgânico para o seu site.

Para isso, primeiramente faça uma busca pela sua marca no próprio Google e identifique as menções. Você também pode criar notificações no Google Alertas para ser avisado sempre que um site mencionar sua marca.

Quando identificar uma boa oportunidade, faça uma abordagem amigável por email para agradecer a menção e solicitar a inclusão do link. Viu como conseguir tráfego orgânico para o seu site pode ser simples?

8. Participe de fóruns, comunidades e discussões

Fóruns da web, comunidades nas redes sociais e qualquer discussão que esteja relacionada à sua área de atuação são excelentes oportunidades de ganhar tráfego orgânico.

Mas não estamos falando de jogar seus links nesses espaços. É preciso participar das conversas, integrar-se ao grupo, mostrar sua relevância e conquistar a confiança da comunidade. Se você entrar nos debates apenas para vender sua marca, não será bem aceito.

Como uma autoridade no assunto, você pode participar dessas comunidades para resolver dúvidas e dar dicas relevantes. Se a marca vende acessórios para celular, por exemplo, pode participar de grupos sobre os principais dispositivos.

Mas contribua sem pensar diretamente na venda. Quando surgir uma boa oportunidade, indique links do seu site ou blog para ajudar as pessoas a resolverem suas necessidades. Essas atitudes fortalecem o relacionamento com o público e a autoridade da marca.

Aqui vale uma ressalva: muitas vezes, fóruns e comunidades incluem o atributo nofollow nos links externos. Essa tag indica que o site não deve transmitir autoridade para a página de destino (neste caso, para o seu site).

Portanto, pode ser que você não receba esse endosso do site de origem, que ajuda no ranqueamento. Mas, mesmo com esse atributo, os links geram tráfego para o seu site de qualquer forma. Se esse é o seu objetivo, vá em frente!

9. Contate veículos de imprensa e influenciadores

Outra forma de conseguir tráfego orgânico é fazer assessoria de imprensa. O ideal é contratar um jornalista especializado nesse serviço, que tenha bons contatos e saiba as melhores abordagens.

Mas você mesmo pode contatar profissionais de imprensa e influenciadores quando tiver novidades relevantes sobre a sua empresa — lançar produtos, abrir novas lojas ou entrar em uma nova região, por exemplo. Crie um release que traga essas informações de forma objetiva e, é claro, insira um link para o seu site.

Se você conseguir links em portais de notícias ou nos canais de influenciadores, eles têm grande potencial de gerar tráfego para o seu site e aumentar sua autoridade. De maneira geral, esses sites atraem muitos visitantes, que podem passar a conhecer a sua marca.

10. Aprenda como conseguir tráfego orgânico com os concorrentes

Você já parou para observar como os seus concorrentes estão atraindo visitantes? Eles também podem ensinar como conseguir tráfego orgânico.

Ficar de olho na concorrência é uma obrigação no marketing digital. Há várias ferramentas que permitem monitorar os passos dos concorrentes, saber como estão atuando e aprender com seus erros e acertos.

Primeiramente, observe quais tipos de conteúdos, formatos e assuntos estão sendo produzidos e quais estão fazendo mais sucesso. Há diferentes formas de fazer isso:

Ao identificar os conteúdos com melhor desempenho, entenda quais fatores explicam seu sucesso e como você pode fazer ainda melhor. Mas nada de copiar, ok?

Além de analisar os conteúdos, verifique também quais sites direcionam backlinks para os concorrentes. Esses sites representam oportunidades de link building para você também.

Então, entenda quais estratégias de link building os concorrentes estão usando e aprenda com eles.

Quanto às ferramentas, a SEMrush faz uma análise completa do perfil de backlinks de um site (veja um exemplo abaixo). O Link Explorer da Moz também ajuda a identificar quais backlinks um domínio ou uma página recebe.

11. Otimize o resumo na página de resultados do Google

Agora, vamos ver como conseguir tráfego orgânico com estratégias de SEO on page, que se referem às otimizações feitas diretamente na sua página ou site.

Perceba que elas estão totalmente sob seu controle, diferentemente do link building, que depende de links de terceiros.

Uma das principais otimizações de SEO on page é a criação de resumos (chamados de snippets) para as suas páginas nos resultados das buscas no Google. Quando o resumo da página é atrativo, persuasivo, relevante para a busca e se destaca entre os outros links, você consegue atrair mais cliques dos usuários. Portanto, gera mais tráfego orgânico.

Os resumos contêm o caminho da página no site, o título, a descrição e, eventualmente, os rich snippets. Vamos ver agora, em detalhes, cada um desses elementos.

Caminho da página

O caminho da página é o primeiro elemento que aparece no resumo. Ele apresenta a URL do domínio e as seções que levam até a página do link.

Perceba que o caminho no site representa a estrutura de URL. No exemplo acima, a categoria de Notícias está logo abaixo da página principal na hierarquia do site. A URL dessa página é “www.terra.com.br/noticias”. Então, o caminho que o Google apresenta é “www.terra.com.br > noticias”.

Por isso, para otimizar esse elemento, é preciso criar uma estrutura de URL amigável. Em vez de usar números e códigos (ex.: exemplo.com/blog.php?post=98340), utilize palavras descritivas sobre o conteúdo da página (ex.: exemplo.com/blog/marketing). Aproveite para incluir a palavra-chave e ajudar o Google a indexar a página.

Título

O título é o elemento que mais se destaca no resumo. É o primeiro contato do usuário com o seu conteúdo, portanto deve instigar o clique para que ele queira saber mais.

É importante que o título da página também contenha a palavra-chave para a qual você deseja ranquear. Esse é um dos principais fatores on page que o Google analisa para saber do que se trata o seu conteúdo e indexá-lo para os termos corretos.

Além disso, ele deve ser descritivo e coerente com o que o usuário vai encontrar ao clicar no link — nada de prometer o que a página não vai cumprir, ok?

Descrição

A descrição, também chamada de meta description, aparece logo abaixo do título da página. Ela deve apresentar um resumo do conteúdo da página em até 137 caracteres, para saber o que ela oferece e se responde a sua dúvida.

Portanto, a meta description deve ser descritiva, mas também persuasiva, para incentivar o clique. Nesse elemento do resumo, se você incluir a palavra-chave e ela coincidir com o que o usuário buscou, ela ficará em negrito e ajudará ainda mais a atrair cliques.

Rich Snippets

Por fim, os rich snippets também podem aparecer no resumo. Mas eles dependem da configuração de dados estruturados pelo administrador do site.

Os rich snippets apresentam informações extras de páginas sobre determinados assuntos. Alguns exemplos são páginas de receitas, produtos, eventos, perguntas frequentes, vagas de emprego, avaliações de usuários, entre outras. Veja abaixo um exemplo de rich snippet de eventos (jogos de futebol):

Neste link, você pode ver todas as orientações do Google para incluir rich snippets nas suas páginas. Existem também plugins para WordPress que facilitam essa configuração.

12. Otimize as imagens do site

No SEO on page, otimize também as imagens do site. Nem sempre elas recebem a devida atenção, mas são essenciais para gerar tráfego orgânico de usuários que estão pesquisando no Google Imagens.

O Google utiliza os textos relacionados às imagens (como o nome do arquivo e a tag de texto alternativo) para identificar o que elas contêm. Assim, eles ajudam o buscador a indexar as imagens e a própria página para os termos corretos.

A otimização de imagens também é determinante para a experiência do usuário na página. O peso dos arquivos, por exemplo, pode atrasar o carregamento e fazer o visitante desistir. Se não incluir um texto alternativo, o usuário que utiliza leitor de tela (principalmente pessoas cegas) ou tem uma internet muito lenta não vai saber o que a imagem contém.

Então, veja agora como conseguir tráfego orgânico com otimizações nas imagens do site:

13. Identifique e corrija erros de rastreamento

Nos próximos tópicos, vamos analisar algumas questões de SEO técnico para você ver como conseguir tráfego orgânico ajustando problemas técnicos do site, como rastreamento e velocidade.

Identificar os erros de rastreamento é essencial para isso. Afinal, o Google precisa conseguir rastrear as suas páginas para que elas sejam indexadas e apareçam nas buscas dos usuários. Só assim eles conseguem chegar até o seu site pela busca orgânica.

Então, identifique possíveis problemas que estejam impedindo o rastreamento pelos robôs. Para isso, você deve ter instalado o Google Search Console, ferramenta que o Google usa para informar problemas técnicos com o seu site que estejam atrapalhando seu desempenho nas buscas.

Nessa ferramenta, vá até o Relatório de cobertura do índice, que apresenta as páginas que foram indexadas com sucesso e quais apresentaram problemas, como:

Cada erro identificado exige diferentes formas de correção. Se você não entende de códigos de programação, é indicado contar com um programador para não causar mais erros no site.

14. Identifique e corrija links quebrados

Links quebrados são muito comuns na web. Eles acontecem, por exemplo, quando um site muda sua estrutura de URLs, troca de domínio, exclui uma publicação e não cria um redirecionamento para ela.

Nesses casos, o usuário clica no link da página, divulgado em algum lugar da web, e cai em uma página de erro dizendo que a URL não foi encontrada. Quando isso acontece, a experiência do usuário é frustrada, e você perde tráfego orgânico.

Então, se você não quer perder esses visitantes, deve identificar quais páginas do seu site estão apresentando Erro 404. A ferramenta Screaming Frog ou o plugin Broken Link Checker ajudam nessa tarefa: eles identificam links internos e externos que não funcionam no seu site.

Depois disso, você pode criar redirecionamentos (Redirect 301) para levar os visitantes até a URL correta ou, caso o conteúdo tenha sido realmente excluído, sugerir outra página que seja relevante para ele.

Digamos, por exemplo, que o usuário visitou um site que linka para uma página de produto do seu site. Porém, a URL do link é antiga — você já mudou a estrutura de URLs do site para torná-las mais amigáveis.

Então, você insere um código de redirecionamento naquela página para que o navegador conduza o visitante para a URL atual. Caso o produto não esteja mais no seu catálogo, você pode sugerir um item semelhante para que o visitante continue navegando no site.

15. Melhore a velocidade de carregamento do site

A velocidade de carregamento é um dos fatores mais importantes de ranqueamento e da experiência do usuário.

As pessoas não têm mais paciência para esperar uma página carregar. Alguns segundos de demora são suficientes para desistir da visita.

O Google sabe disso e valoriza aqueles sites que carregam rapidamente. Não é por acaso que a velocidade é um dos fatores de ranqueamento do buscador desde 2010. Também não é por acaso que o próprio Google oferece uma ferramenta de análise da velocidade do site: o PageSpeed Insights.

Experimente analisar o seu site. A ferramenta apresenta uma pontuação sobre a velocidade de carregamento, tanto no desktop quanto no mobile, e traz um diagnóstico de oportunidades de melhorias, com sugestões como:

Então, aproveite as sugestões do Google para melhorar o seu desempenho nas buscas. Quanto mais rápido for o carregamento, melhor será a experiência do usuário e maiores são as chances de aparecer no topo do ranking.

16. Tenha um site mobile para gerar tráfego orgânico de dispositivos móveis

Aqui vale a mesma lógica da velocidade do site: quando os usuários acessam o seu site pelo celular e as páginas apresentam problemas, logo eles desistem da visita.

Então, você precisa melhorar a experiência mobile para não perder o tráfego orgânico de dispositivos móveis — que, muitas vezes, ultrapassa o número de visitantes de computadores desktop.

O Google também quer que você faça isso, porque se preocupa com a experiência do usuário. Por isso, desde 2015, o buscador utiliza a compatibilidade com dispositivos móveis como fator de ranqueamento. E novas atualizações no algoritmo seguem acontecendo para valorizar os sites que oferecem uma boa experiência mobile.

Assim como no caso da velocidade de carregamento, o Google também oferece uma ferramenta: o Teste de compatibilidade com dispositivos móveis. Você pode verificar se o site é compatível com mobile e saber se houve problemas de carregamento.

Existe ainda outra ferramenta do Google que reúne as análises de velocidade de carregamento e compatibilidade com mobile: o Test My Site. Essa ferramenta mede a velocidade dos sites móveis e apresenta recomendações de otimização. Vale a pena experimentar também.

Enfim, passamos pelas principais estratégias de conteúdo, link building, SEO on page e SEO técnico para aumentar o tráfego orgânico do seu site.

Mas não pense que o trabalho para por aí. Saber como conseguir tráfego orgânico é essencial no inbound marketing, que visa atrair interessados para nutri-los ao longo do funil de vendas. Portanto, capture os contatos dos visitantes que você atrair com estratégias orgânicas, para que eles se transformem em oportunidades de negócio.

Agora, deixe um comentário logo abaixo e diga o que você achou deste texto! Tem alguma outra ideia de como conseguir tráfego orgânico? Já teve alguma experiência positiva? Conte para a gente! E conte para a gente também se você deseja que abordemos algum assunto ainda não abordado no site Proddigital Market.

Sair da versão mobile